.SIM

-Reacção de José Sócrates(SIC)

-Reacção de Jerónimo de Sousa(SIC)

-Reacção de Francisco Louçã(SIC)

-Reacção de Movimentos pelo SIM(SIC)

-Especial SIC
Últimas notícias
O Referendo nos Blogs

.posts recentes

. (sem assunto)

. ...

. Bom dia..

. ...

. apoio monetário

. ...

. despenalização do aborto

. Promulgação do Presidente...

. Vigarice

. concordo

.arquivos

. Novembro 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.tags

. aborto

. abstencao

. casal

. celulas

. choro

. condições

. coragem

. crianças

. crime

. debates; sic; aborto

. democracia

. deputados

. desabafo

. despenalizacao

. despenalização

. despenalizado

. despenalizar

. direito

. duvida

. escravatura

. espanha

. estado

. familia

. feto

. governo

. hipocrisia

. igreja

. infértil

. ivg

. jose policarpo

. justica

. legislacao

. menino

. moralista

. morte

. mulheres

. opiniões

. parlamento

. pena morte

. politicos

. portugueses

. ps

. referendo

. vergonha

. vida

. todas as tags

.subscrever feeds

Participe
Envie a sua mensagem para aqui.


Sábado, 30 de Dezembro de 2006

Despenalização Sim, Hipocrisia Não!

Parece-me que todas as discussões sobre o tema parecem focar-se sempre em
algo que não é bem o centro real da questão.

Se é moral ou não fazê-lo, penso que fica ao critério de cada um, e essa
escolha é que é o real cerne da questão. Escolha legal! O aborto não passa a
ser obrigatório simplesmente passa a ser realizado em condições seguras para
a mulher que resolver optar por essa via.

Parece-me hipócrita ser pró-vida e fechar os olhos às mortes de mulheres que
recorrem ao aborto clandestino! É pró-vida dizer que, sim, um feto com 10/12
semanas é uma vida, mas que a vida da mulher que o “carrega” não tem grande
valor?!

É claro que se deve continuar a investir em educação sexual e planeamento
familiar, porque é preciso reconhecer que a informação não está a chegar às
pessoas (de forma a alterar comportamentos) de forma muito eficaz! Para além
disso, nem só as pessoas que não tem qualquer atitude de prevenção têm
azares! Basta ver pela eficácia dos anticontraceptivos existentes, é
bastante elevada, mas não é 100%! Quando o preservativo rebenta há a pílula
de recurso, mas, e quando uma pessoa se esquece de uma toma da pílula? Se se
esqueceu, não vai recorrer logo à pílula de recurso. E mesmo essa, quando se
vai a um centro de saúde pode ter-se uma resposta como “Pílula do dia
seguinte? Não é preciso, logo se vê.”. “Logo se vê”?! Se tivesse seguido o
conselho não sei o que se teria visto, mas decidi não correr o risco!

A questão principal é: uma mulher deve ir presa porque fez um aborto?
Independentemente das razões que o levaram a tal. Terá uma vida muito feliz
a criança não desejada? Algumas terão, e as outras?! Quantos casos de maus
tratos e homícidos levados a cabo pelos pais se viram na televisão?
Demasiados! Isso é vida?

Diz-se sim à vida? Mas, então e a qualidade de vida?!

Claro que há pessoas que têm um mau início de vida e conseguem dar a volta
por cima, mas a questão é: o que a sociedade deve querer é que criança
nenhuma tenha um mau início de vida!

Porque valorizo a vida de uma mulher grávida que por alguma razão opta por
não querer ter um filho, porque valorizo principalmente a qualidade de vida
e não a simples existência – Sim à Despenalização, Não à Hipocrisia!



Lígia Cota Vieira
publicado por comunidade às 13:31

link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|
Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2006

O SIM, à despenalização do aborto!

Eu vou votar no SIM.

Não condeno as mulheres que o fazem. Condeno a falta de condições a que têm
de estar sujeitas.
Muitas vezes, ficam com marcas irreversíveis. Quer fisica quer
psicologicamente.
E estas marcas, já são em si mesmas uma condenação, mil vezes maior, que uma
condenação à cadeia.
Mas é uma decisão a que a mulher tem direito.

Não é por despenalizar o aborto, que o número de abortos vai disparar!
Já disparou à muito tempo. (só neste país é que ninguém quer ver...)
Os abortos continuam e irão sempre continuar, quer ganhe o Sim ou o Não.
Temos que ter consciência, de que isto não vai mudar.
E, se os abortos vão continuar, porque não oferecer às mulheres, as
condições necessárias para o fazerem? sem colocarem a vida delas em risco?
(sim, porque não é a sua vida que está em risco!) E as razões pela qual as
mulheres o fazem, só elas o sabem.

E por puro cinismo, o governo continua a penalizar as mulheres que fazem
abortos ... mas não existe Educação Sexual nas escolas (porquê, se o número
de adolescentes grávidas tem vindo a aumentar?) ... não existem campanhas
para uso do preservativo (suficientes), não há uma maior comparticipação das
pílulas para as tornar mais acessíveis ... e ainda porque não há
uma comunicação aberta entre pais e filhos... E vêm com a lenga-lenga da
penalização das mulheres?! Não vamos tapar o sol com a peneira!

Tudo isto, tem a ver com o tipo de educação transmitido de pais para filhos,
de geração em geração. Infelizmente em Portugal, a pequenez está exactamente
na mentalidade. E para além de pequenos, alguns são ainda hipócritas...
Não é por não falarmos nos problemas, que eles desaparecem!

E custa-me a aceitar, que numa sociedade do século XXI, ainda existam tantos
preconceitos, tanto cinismo, tanta vergonha e tantos Tabus.



Susana Nunes
publicado por comunidade às 15:10

link do post | comentar | ver comentários (33) | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006

...

No referendo só as mulheres deveriam votar.
Elas é que decidem se querem ou não ter filhos e de quem os querem ter.
publicado por comunidade às 13:06

link do post | comentar | ver comentários (42) | favorito
|

O aborto é sempre um mal

Creio que, em questões tão relevantes como esta, os rótulos que possamos
pôr às posições assumidas de pouco valem. Li recentemente a este propósito
a opinião de um autor que é assumidamente de esquerda e que afirma não
compreender como pode alguém com essas convicções políticas,
tradicionalmente defensoras da liberdade e dos direitos humanos, não ser
contra o aborto. Catalogações à parte, portanto, há, porém, alguns aspectos
que, a meu ver, não se pode deixar de referir a este propósito.
Em primeiro lugar, que a vida humana é um dom de Deus e um direito
inalienável de qualquer ser humano. Esse direito não depende da vontade de
cada qual, nem da apreciação que possamos fazer das situações concretas em
que é gerado cada novo ser humano. O caminho que pode parecer mais simples
(pelo menos para quem com ele pactua) não é, nesta como noutras situações, o
melhor: o aborto não é solução para o que quer que seja, porque é SEMPRE um
mal com que se pretende remediar outro mal (ou algo que parece sê-lo). A
melhor solução – que, sendo bastante exigente, é particularmente difícil de
pôr em prática nos tempos que correm, em que há muito quem tenda a
satisfazer sobretudo as suas necessidades e conveniências pessoais e se
perdeu muito do respeito que a vida merece – seria «atacar» as raízes do
problema, apoiando por todos os meios ao nosso alcance as mulheres que se
encontram em situações de angústia e desespero e às quais a nossa sociedade
se limita demasiadas vezes a dar o conselho: «Aborta e ficas com o teu
problema resolvido». Que o digam os milhares de mulheres que, todos os anos,
são «empurradas» para este flagelo e que não conseguem conviver com a ideia
do aborto que foram levadas a praticar. (A este propósito, são deveras
elucidativos os depoimentos chocantes divulgados recentemente pela
Associación de Víctimas del Aborto, em Espanha, um país onde o aborto atinge
já proporções assustadoras). E se é certo que é necessário combater o aborto
clandestino e que não é solução condenar apenas as mulheres que o fazem,
também é certo que as estatísticas que se conhecem indicam que a
descriminalização não diminui nem o número de abortos, nem o sofrimento das
mulheres que são levadas a praticá-los – muito pelo contrário. Em
contrapartida, há meios legítimos de planeamento familiar, casais que querem
adoptar, instituições de acolhimento e de apoio às mães que, apesar das
dificuldades, querem, ainda assim, trazer os seus filhos ao mundo. E será
decerto muito mais eficaz deitarmos mãos à obra da prevenção, apoiando as
mulheres e as famílias, do que «sacudirmos a água do capote» e fornecermos
apenas os meios «clinicamente correctos» (mas sempre muito pouco
humanos) para abortar.
Acredito que qualquer ser humano tem uma missão neste mundo e que não nos
cabe a nós, os que já cá estamos e tivemos a sorte de ser desejados, decidir
se alguém deve ou não nascer com base nas nossas «previsões» do seu futuro.
Quantas crianças nascidas em meios carenciados não singraram bem na vida?
Quantos deficientes não foram oportunidade de aperfeiçoamento para os que
com eles privaram? Quantos meninos nascidos em berço de ouro, com tudo para
serem felizes, não acabaram as suas vidas em becos sem saída, obesos que
estavam de bens materiais, mas vazios de amor e propósitos para a sua
existência? Quem somos nós para decidir quais devem viver?
O futuro de cada um de nós depende de todos. A vida dos outros também é da
nossa responsabilidade. A Deus cabe o dom da vida. A nós cabe-nos
preservá-la desde a concepção (porque, em termos humanos, não existem, para
mim, «amontoados de células»), apoiá-la, alimentá-la e enriquecê-la com base
nos valores perenes que, de acordo com o projecto de Deus para a humanidade,
fazem a felicidade do ser humano.
Tenho a sorte de ser mãe de quatro filhos, um dos quais deficiente mental, e
de estar ciente de que as dificuldades que sempre implica o papel de mãe
são, na medida em que me esforce por superá-las, bem como às minhas
limitações, uma óptima oportunidade para me ir tornando um pouco melhor e
contribuir para fazer mais felizes aqueles que me rodeiam.

Maria João Favila Vieira Carmona
publicado por comunidade às 10:44

link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2006

Despenalizar ou abortar?

Não condeno as mulheres k fazem aborto, mas a falta de condições k lhes é
oferecida para ter os seus filhos, não é uma questão de opção fazer ou não
fazer aborto, é uma vida humana, que poucos defendem, pois é mais económico
e cómodo para todos, não é com esta lei que vão resolver o problema, nem em
Portugal nem em qualquer parte do mundo. Tudo está assente na melhor maneira
de resolver o problema e ao menor custo, para o estado e para a sociedade! É
de facto uma vergonha as mulheres serem presas, por vezes sem culpa ou outra
opção, mas ainda é mais vergonhoso deixar que seres humanos sejam mortos sem
defesa possivel!!! Como se explica que uma mulher faça abortos sucessivos e
sem explicação ou motivo aparente!, quantas mulheres são
acompanhadas/ajudadas pelo estado/sociedade perante esta situação! A vida é
para ser vivida, mal ou bem, ela nos é dada e retirada, mas nem todos tem o
direito à vida porque esta passou a ser legislada pelos homens e não pela
natureza.
José Pessegueiro



P Antes de imprimir este e-mail pense bem se é mesmo necessário fazê-lo: O
meio ambiente é de todos.
publicado por comunidade às 16:43

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

ABORTO

Aborto...

Sou completamente contra....
Não estamos na pré-história, existe já muita informação e muitos meios de precaver uma gravidez...
publicado por comunidade às 16:34

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

concordo com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez

concordo com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, por isso voto SIM

Não concordo com a propaganda que os padres fazem nas missas com o apelo ao não, penso que a igreja católica é de todos e para todos.



João Carlos
publicado por comunidade às 08:59

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 26 de Dezembro de 2006

Aborto

Penalizar ou despenalizar o IVG , eis a questão.?

Mas se atendermos, que a mulher tem ao seu dispor
meios eficazes para evitar a gravidez,

como sejam : o preservativo, a pílula e o recurso
“in extremis” do dia seguinte, entendo que

O “ laisser faire, laisser courrir” da maioria
das mulheres sofrem pela sua incúria e desleixo.

aliados à irresponsabilidade das consequências
inerentes.

Assim sendo, sou pela penalização, mas substituída
por penas adequadas ás circunstâncias

e a cumprir não nas prisões, mas nas maternidades,
instituições de protecção à infância e

e congéneres. POIS, È JUSTO SALVAGUARDAR, UMA
MULHER É SEMPRE UMA MÃE

EM POTÊNCIA.
publicado por comunidade às 17:07

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 24 de Dezembro de 2006

ABORTO POR ENCOMENDA...

Afinal os chineses são mais ainda do que aqueles que a gente a pensava.
Vê-se por cá muito malta com os olhos em bico. O ZÉ DA BURRA, então, está
mesmo a precisar de lentes novas. Fala em "fetos" como quem joga aos
feijões. Mas, verdade seja dita, acredita em grandes milagres: não é Deus
que nos dá a vida, a forma e o desenvolvimento que permite um dia chegarmos a
criança e depois a ser adulto, pois tamanho prodígio é obra exclusiva do Tio
Patinhas!...
Há pessoas que a argumentar parecem-se com a vareja à procura de uma
saída: batem continuamente nas vidraças e não se dão conta sequer da fresta
por onde entra o ar. Se calhar habituaram-se ao cheiro putrefacto dos abortos e
já não toleram sequer o oxigénio. O ZÉ DA BURRA pousa histericamente sobre
aquilo que os outros escrevem, mas apenas se ouve zum...zum...zum... Limita-se
a deixar micróbios para contaminar os incautos. Pelo que se vê, ele não
precisou mesmo daquelas dez primeiras semanas de gestação para nascer. É um
fenómeno da natureza! Qualquer dia veremos o busto dele no Entroncamento, com
todos os abortados a aplaudir e a recomendá-lo! Bombardeados pelos absurdos
que repete, esperemos, entretanto, que não morra alguém com a risota...

BERBEQUIM
publicado por comunidade às 18:53

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Dezembro de 2006

Eu VOTO CONTRA O ABORTO! A favor de uma VIDA MELHOR SEMPRE!

Meus caros,

Aproveitemos este Espírito Natalício desta quadra para reflectirmos neste tema
da actualidade que não é mais do que o ABORTO que no meu entender não passa
de uma tremenda Injustiça, e mais do que isso será na minha opinião um
assassinato pois que com a interrupção da gravidez não estamos a fazer mais
do que a tirar a Vida a um Ser Humano que ainda por cima é e esta indefeso
não se podendo de forma alguma defender julgando por este meu raciocínio ser
um acto de cobardia, a titulo de comparação será algo idêntico como que
assassinar uma pessoa pelas costas, já que se encontra também indefesa.
Meus Amigos, pensemos naqueles pobres Casais que querem ser Pais e não o podem,
talvez quem sabe não gostassem eles de ter esses "abortos" que fazem, se
deixassem de fazer a favor destes podendo assim de alguma forma ser Pais mesmo
que adoptivos.
Que o calor deste Espírito Natalício toque os nossos Corações gélidos e nos
faça votar a FAVOR DA VIDA, fazendo quem sabe com que a população Portuguesa
ao contrário de envelhecer, rejuvenesça. Precisamos de JOVENS!!!...
Não nos façamos passar por "deuses" decidindo sobre a Vida de terceiros.
É conhecido de há muitos anos vários métodos contraceptivos eficazes EM
QUASE 100% que evitariam "surpresas"- temos que ser conscientes do nosso erro e
aceita-lo da melhor forma, ou seja, abrindo os braços ao novo rebento. Alguns
apelam a falta de dinheiro e outros Bens, então mudemos os nossos hábitos
consumistas e Lutemos pelas nossas vidas e dos nossos filhos e não abortos.
Isto é apenas a minha modesta opinião sobre este Tema e não estou aqui para
criticar ou julgar ninguém, apenas pensem no que VAMOS fazer porque este
referendo é da responsabilidade de TODOS...
Eu VOTO CONTRA O ABORTO! A favor de uma VIDA MELHOR SEMPRE!!!...
Desejo Um Santo e Feliz Natal para Todos e Prospero Ano Novo.


N.B.T. (Uma Mulher Preocupada por este Tema que já deveria estar resolvido,
votei NÃO antes e volto a votar NÃO AGORA)
publicado por comunidade às 15:55

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Referendo de 11 de Fevereiro de 2007

Paremos de nos insultar, pois esse é também um grave pecado que os católicos tanto evocam.

Acho que as pessoas devem ser respeitadas, quer a sua opinião seja a favor ou contra da despenalisação do aborto feito nas condições que o referendo propõe.

Eu pessoalmente vou votar sim, por que a minha experiência diz que abortar nas actuais condições para mulheres com poucos recursos financeiros é continuar a permitirmos que em vez de morrer um ser, para aqueles que isso defendem, morram dois sendo que essa mulher que morre por não ter recursos financeiros, seja logo julgada, segundo os mandamentos da Santa Madre Igreja. Ora, eu penso que se ela vier a ser julgada, poderá sê-lo na eternidade. Não sejamos nós humanos a querer fazer a justiça de Deus. Olhai que poderemos qui çá vir a ser julgados por isso!

Cinismo à parte, acho que devemos todos ora a favor do sim ou do não reflectirmos muito na nossa decisão e darmos o nosso contributo, no dia 11 de Fevereiro de forma consciente.

António Vaz Maia
publicado por comunidade às 15:15

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

...

Basta ter tido o direito de nascer para não poder negá-lo a ninguém!
publicado por comunidade às 14:53

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

...

Portugal e a Irlanda são os únicos países da União Europeia que ainda
têm uma lei retrógrada que penaliza quem faz um aborto. Será isto um
reflexo do nosso iluminismo, do nosso avanço, ou do nosso grande
catolicismo? A resposta é certamente não. Será que por ainda termos uma
lei retrógrada somos mais católicos que por exemplo os espanhóis? A
resposta é certamente não. O aborto sempre se fez e fará em Portugal,
seja ou não a lei aprovada. No tempo do “Salazarinho” milhares de
abortos foram feitos, tanto nas grandes cidades, como nas aldeias mais
beatas onde as senhoras de vestidas de preto escondidas pelas sombras da
noite deslocavam-se para ir fazer os desmanchos às amigas e vizinhas.
Exactamente, antigamente chamava-se desmanchos, ao que chamamos agora
aborto.
Deixemo-nos de meter na vida de cada um. O aborto é apenas uma decisão
individual (quanto muito para ser discutida em família). Nós portugueses
com uma mentalidade mesquinha temos ido longe, sem dúvida que temos! Ai
portugueses!
publicado por comunidade às 14:50

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Não ao Aborto

Um dos argumentos mais usado para defender o aborto, é que não despenalizando o aborto, este continua a praticar-se clandestinamente de modo que o melhor é despenalizá-lo! E como é um problema de consciência, quem achar que não deve fazer não faça e dê liberdade aos outros.
Este argumento levaria a:
Apesar de o assassínio ser penalizado, este continua a ser praticado por alguns de modo que o melhor é liberalizá-lo e como é um problema de consciência, quem for contra, não assassina mas dê liberdade aos outros!

Já estou a ouvir a resposta: Não é a mesma coisa pois um assassino tira a vida a outra pessoa e o aborto não!
Porquê? Só passa a "pessoa" às 11 semanas? E porque não às 20? Ou às 5?
João Araújo
publicado por comunidade às 12:33

link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito
|

Despenalização do Aborto Sim - Aborto Não

A mim parece-me que há alguma dificuldade em perceber o verdadeiro
sentido da questão.

Somos um país que quer parecer democrático mas não é, quer parecer
liberal mas não é, quer ser evoluido e civilizado e está muito longe
de o ser, pelo menos a nível de mentalidades.
Não podemos ser egoistas e hipocritas desta maneira, para ignorar este
problema de saúde pública que se está a passar à nossa volta, com
desconhecidos, conhecidos, vizinhos, amigos, familiares ou mesmo até
connosco.
É importante, dar condições a quem tem que praticar um aborto, opção
de escolha. Neste momento não há opção. Ou se faz um aborto em
péssimas condições ou se faz um aborto em más condições. E ainda é
condenada por fazê-lo.

Se me perguntarem se sou a favor do Aborto, respondo com um NÃO
seguro. Mas ao ser questionada se sou a favor da despenalização do
aborto, respondo com um SIM firme. Eu nunca praticaria este acto, mas
não posso ser hipocrita ao ponto de ignorar a sociedade que me rodeia
e onde os meus filhos irão crescer.

Para finalizar, a despenalização do aborto, não vai obrigar ninguém a
praticá-lo.

M. cumprimentos,
Cristina Martinho
publicado por comunidade às 11:54

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Aborto

Eu digo NÃO

Quando se pedem sacrifícios aos idosos e com fracos recursos aumentando taxas "moderadoras" e por aí fora, vamos todos pagar abortos quando, por razões válidas a lei já consagra os motivos, até às 10 semanas, para que tal se pratique.
Só tenho pena é que as mães de algumas "inteligências" que nos (DES)governam não tenham abortado. É que destes "abortos" há muitos e tínhamos ficado livres deles.
Não será preferível ter uma Educação Sexual capaz?
Há tantos métodos para as meninas e mulheres fornicarem sem ficarem grávidas!!!
Porque não usam uma rolha ou bebem um copo de água em "vez de..."

Estão a gozar com os necessitados.

rba
publicado por comunidade às 11:02

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Não, nunca pactuarei com um hoimicidio!!!

Tal como não concordo com a pena de morte para criminosos adultos, nunca pactuarei com a pena de morte para bebés que não cometeram crime algum...

Augusto
publicado por comunidade às 10:55

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Aborto = Homicídio

De facto, quem defende a legalização geral da IVG por se vir praticando muito, defenderá com toda a coerência argumentativa a legalização do homicídio, pelas mesmas razões. Basta pegar no "Correio da Manhã", por exemplo, e contar o número de homicídio que diáriamente ocorrem. Aliás, neste caso as provas até são bem mais fáceis do que no do aborto, cujo número apenas se supõe, e inflacciona ou deflacciona consoante a conveniência!...
Bom Natal, sobretudo para as mulheres que se encontrem no admirável estado de gravidez - os meus parabéns e felicidades para os filhos que guardam no vosso privilegiado ventre - e para as que não se encontram nesse estado, para que usem a sua liberdade sexual com responsabilidade, pensando bem antes de fazer um filho!... Hoje é bem fácil, por isso é que a defesa da IVG generalizada (para os casos especiais, limite, já temos o artº 142º do Código Penal) talvez tivésse feito sentido há 50 ou 100 anos atrás.
João Bicho - Pombal.
publicado por comunidade às 10:44

link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

FW: O Aborto e outros abortos!

Num país onde:

Não se respeita: Principios Ecológicos - Poucos são os que reciclam o lixo,
se preocupam em reduzir o consumo de água e de luz...

Se vai para a praia com crianças ás 13 horas...

Existe a "Industria dos Incêndios" e em que todos os dias se matam todas as
outras industrias...

Não se leva a sério a educação dos jovens...

O cidadão quando se senta ao volante de um carro se acha o justiceiro do
mundo, se sente poderoso e com essas e outras atitudes ceifa vidas todos os
dias...

A segurança rodoviária é desprezada...

Se fez uma revolução mas cada vez mais vincula os valores do antes-25 Abril,
nas empresas, no acesso á saúde, no acesso á qualidade de vida - explicando
melhor:

- Cada vez mais se aplica a disciplina do terror nas empresas
chamam-lhe é outros nomes
- Quem tem dinheiro e conhecimentos vence na vida os outros
nasceram para escravos
- Onde o povo voltou a ir á procura em outros países modo de
sustentar a vida
- Quem tem dinheiro tem acesso a cuidados de saúde de qualidade
quem não tem fica á mercê da sorte e pronto
- As pessoas são discriminadas por não exibirem sinais de
riqueza - chamam-lhe antes " pessoas não actualizadas"
...

Se tem dinheiro para ostentação mas não tem dinheiro para pagar impostos

Se tem dinheiro para a OTA e para o TGV mas não tem para hospitais,
apretechamento de hospitais e centros de saúde, paga mal a médicos,
enfermeiros e pessoal auxiliar; não tem dinheiro para evitar a corrupção

Quem faz a justiça é quem tem dinheiro, move inflências, os juízes e
tribunais são bonecos decorativos e paus mandados...

O futebol é mais protegido que actividades que criam valor mais real e são
mais basilares...

Se mata o sector das pescas, da agricultura todos os dias e escancara-se as
portas a espanhóis, a chineses, a todo o chico esperto...

Os patrões não têm dinheiro para pagar de forma justa aos seus colaboradores
mas têm dinheiro para ostentação e desperdicio - a vaidade é um pecado do
caraças...

O trabalho precário é preferível a qualquer politica de emprego onde haja
justiça entre direitos, garantias e obrigações , porque o que interessa é
lucro bom e rápido, a qualidade que se lixe... Que eu saiba ninguém se
motiva a fazer bem, mais rápido, melhor tendo como prémio o olho da rua
dentro de meses ou semanas...

Se maltratam as pessoas idosas...

Não se remunera de igual modo homem e mulher para a mesma função...

As mulheres não são devidamente respeitadas...

As crianças são alvos fáceis para tudo...

Se cospe para chão, se deita lixo para todo lado...

...

Eu não vejo movimentação séria em prol destes e de outros problemas!

Temos um país gravemente doente e ninmguém se preocupa!

Erguem-se de quando em vez uns grupos foclóricos...

No dia em que todos estes e outros problemas forem levados a sério e
resolvidos com inteligência por certo que o problema do Aborto ficará onde
deve ficar - na intimidade de quem opta ou não por fazê-lo.

No meio do nada é onde estamos!

ALEX
publicado por comunidade às 10:39

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Despenalização do Aborto

EU DIGO NÃO, NOVAMENTE

Neste tema tão delicado temos de pesar muito bens os prós e os contras.
Eu concordo com o aborto nas situações já previstas na lei senão vejamos:
Uma mulher é violada, desse acto estramamente violento para uma mulher é gerada uma criança. Meus senhores e minhas senhoras por muito que custe essa criança não vai ser amada como outra qualquer que é gerada com amor, essa foi gerada com violencia. Acham que vai ser amada como as outras? NÃO
Uma mulher está gravida e sabe que o filho é defeciente, eu sinceramente e como mulher, não sei o que faria, é uma situação que só o casal pode decidir. Com esta situação tenho as minhas duvidas em relação ao aborto, mas mais vale faze-lo com seguraça.

Agora abortar só porque naquela altura da vida não convém, ou porque não se quer ter filhos, então para que é que serve a pilula, os preservativos masculinos e femeninos, etc., etc, ect.......

EU VOU DIZER NÃO

Ana Rodrigues
Ovar
publicado por comunidade às 10:26

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

.NÃO

-Reacção de Marques Mendes(SIC)

-Reacção de Ribeiro e Castro(SIC)

-Reacção de Movimentos pelo Não(SIC)

.links