.SIM

-Reacção de José Sócrates(SIC)

-Reacção de Jerónimo de Sousa(SIC)

-Reacção de Francisco Louçã(SIC)

-Reacção de Movimentos pelo SIM(SIC)

-Especial SIC
Últimas notícias
O Referendo nos Blogs

.posts recentes

. (sem assunto)

. ...

. Bom dia..

. ...

. apoio monetário

. ...

. despenalização do aborto

. Promulgação do Presidente...

. Vigarice

. concordo

.arquivos

. Novembro 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.tags

. aborto

. abstencao

. casal

. celulas

. choro

. condições

. coragem

. crianças

. crime

. debates; sic; aborto

. democracia

. deputados

. desabafo

. despenalizacao

. despenalização

. despenalizado

. despenalizar

. direito

. duvida

. escravatura

. espanha

. estado

. familia

. feto

. governo

. hipocrisia

. igreja

. infértil

. ivg

. jose policarpo

. justica

. legislacao

. menino

. moralista

. morte

. mulheres

. opiniões

. parlamento

. pena morte

. politicos

. portugueses

. ps

. referendo

. vergonha

. vida

. todas as tags

.subscrever feeds

Terça-feira, 14 de Novembro de 2006

Despenalização

Olá
li atentamente todos os comentários que aqui têm sido escritos e reconheço a
ligitimidade de todos eles mas temos que aprender que as nossas ideias e
interesses não se podem sobrepor aos dos outros.
Aceito perfeitamente as questões morais e ideológicas daqueles que são
contra a despenalização do aborto mas acho que têm que entender que a
despenalização não vai obrigar ninguém a abortar seja em que condições for,
apenas vai melhorar as condições de quem realmente tem necessidade de o
fazer. Eu sei que nos nossos dias quase se pode dizer que engravida quem
quer mas, mesmo assim acidentes acontecem, acidentes que podem mudar toda
uma vida e não trazer bem estar nem para os pais nem para os filhos, porque
se assim fosse não veríamos tantas crianças abandonadas em orfanatos ou a
viverem em condições miseráveis.
Um filho deve ser um acto de consciência e vontade por parte dos pais e não
um acidente.
Por isso pensem bem, porque os acidentes não acontecem só aos outros...
publicado por comunidade às 18:21

link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De Anónimo a 15 de Novembro de 2006 às 11:15
Ok... os acidentes acontecem... mas é um risco que todos temos conciência. A única diferença é que há os responsáveis e assumem os seus actos e os irresponsáveis que tentam solucionar o "acidente" matando um ser indefeso.
A despenalização não vai obrigar ninguém a abortar, mas vai tornar banal a morte de inocentes, vai ser um crime impune... Acha que deveriam ser soltos os assassinos? É que é a mesma coisa, só que no feto não se vê a cara da pessoa que morre, enquanto que uma criança já fora do últero da mãe já é um crime bárbaro!
De borto nao se torna Banal apenas pq exist a 15 de Novembro de 2006 às 12:27
O Aborto nao se torna banal apenas pq existe ... as drogas existem e Voçe tem a escolha de a usar ou não...

A despenalização é apenas dar mais condiçoes a algo que ja se pratica...

E são MEdicos e PArteiras que os fazem, e aos quais pagamos os ordenados ... todos sabem a realidade mas todos fecham os olhos
De Anónimo a 15 de Novembro de 2006 às 13:03
Então também acha que pode matar quem quiser porque homicídio também existe? Grande lógica a sua!
Dar condições... sempre haverá abortos clandestinos, pois muita gente não dá a cara, esconde da famíla ou algo assim, porque no fundo sabem que estão a fazer algo errado.
De Anónimo a 15 de Novembro de 2006 às 13:24
exactamente...nao se mata toda a gente apenas pq o homicidio existe
por isso nao se vao fazer abortos a correr apenas pq existe.

TEm a ver com cada pessoa e com cada ambiente familiar.

O Aborto Vai sempre EXistir e MUitas Mulheres que nunca pensaram sequer nessa hipotese, por vezes veêm-se a braços c/ essa decisao. E nenhuma mulher ... acredito o faz de cabeça fria mas mãe é para todos os casos e se sou ber que se tiver o filho este passara fome ou pior acho que essa mae tem direito a decidir ...
De Anónimo a 15 de Novembro de 2006 às 15:52
Embora que infelizmente conheço algums mulheres que fizeram o aborto e não foi porque não tinham condições para os criar, muito menos passar fome...
Dos vários casos que sei, foi meramente por capricho, e outros por vaidade...
Pessoas que apenas tem 1 filho, carros topo de gama, férias de sonho, com curso superior e emprego estável, não são propriamente os motivos sócio-económicos que os leva a matar um ser humano, pois não?
Por isso não venham falar que vão passar fome, porque felizmente não são esses os casos e as razões do aborto.
De Anónimo a 15 de Novembro de 2006 às 16:36
Tenho um testemunho sobre o aborto muito curioso para contar.
Tenho um casal amigo, neste momento estão casado há 20 anos. Casaram-se e como os jovens de agora, tinham a casa para pagar, então na primeira gravidez que surgiu fizeram um aborto.
Passados alguns anos, já não tinham a casa para pagar, mas como tinham comprado um negócio não tinham possibilidades para um filho e na 2ª gravidez faz-se um aborto.
Passado algum tempo engravida a 3ª vez, mas como o negócio ia de "vento em popa" não podiam dispender do seu tempo e pela 3ª vez aborta.
Já lá iam vários anos de casamento, mas como só queriam ter um filho quando chegasse a altura ideal (sem precisar de trabalhar tanto e com a vida financeira organizada), a 4ª gravidez não foi adiante porque precisavam pagar o apartamento de férias entretanto comprado no Algarve.
Quando finalmente acharam-se com capacidades para serem pais, mas foi tarde de mais... talvez resultado do vários abortos praticados. Agora chora pelos abortos feitos, em vão porque a alegria de ter um filho jamais a terá. Hoje é uma pessoa mesquinha, ao contrário do que sempre foi, pois tem inveja das colegas que apesar serem menos abastadas, tem uns lindos filhos e essa felicidade ela não encontra nos bens que adquiriu ao longo dos anos.
De maria a 16 de Novembro de 2006 às 11:46
cara senhora ou senhor,
essa história da "carochinha" que nos traz, só vem dar razão às pessoas que neste blog apoiam a despenalização do aborto, então não acha que essa sua amiga é um caso gritante de como a despenalização é necessária fora das excepções já previstas na lei?será que essa senhora continuaria a pôr a sua vida em risco e a arruinar cada vez mais a hipótese de ter filhos, e saudáveis já agora, se desde a primeira vez que decidiu terminar uma gravidez tivesse recorrido a um hospital, e pudesse ter contado abertamente com um aconselhamento tanto médico como psicológico dum profissional de saúde credenciado, como aliás é obrigatório em todos os países onde o aborto foi despenalizado? sim, sim, não é só a senhora chegar lá e toca a mandá-la para cima da marquesa, é que muitas vezes é precisamente nesse aconselhamento preliminar que muitos abortos são evitados! mas, infelizmente, a nossa sociedade ainda olha muito para o próprio umbigo e trata determinadas questões com mesquinhez...mais maturidade e altruísmo, precisa-se!!!
maria.
maia.
De Anónimo a 16 de Novembro de 2006 às 15:59
Não é uma história da carochinha... é pura realidade! E o testemunho que eu quis dar era que o aborto não é nem nunca será solução para nada, pois sei que ela tem a conciência pesada com o que fez, fosse em que lado o fizesse. É que às vezes a ganância e o egoísmo é tanto que não se vê mais nada senão o umbigo... mas a medida que o tempo passa dá-se mais valor ao que até então não tinha valor nenhum... um filho, uma vida.
Quanto ao apoio psicológico... acredite que ela teve-o, não só de profissionais mas também de toda a família, amigos e até do próprio marido, quer antes quer depois daquilo que fez...
Por isso essa treta das condições psicológicas, condições sócio-económicas, informação, etc... que querem fazer passar às outras pessoas, está de todo longe da realidade, pois o que eu vejo é que quem aborta está apenas a pensar nela, é um acto de puro egoísmo...
Posso dizer ainda mais, a pessoa em causa deveria dar mais valor a vida do que muitos, pois a mãe que é analfabeta, que ficou grávida muito jovem fruto de uma relação com um homem casado, que para a ter cortou relações com a família que não queriam aquele "acidente" nascesse, que nunca casou e teve que trabalhar muito e sozinha para a criar, lutou contra todos os preconceitos de há 45 anos, nunca pôs em causa um aborto... e ela é prova viva disso.
É ironia do destino, pois nessa perpectiva ela teria sido abortada, no entanto é ela com a vida mais facilitada é que faz os abortos!
De Anónimo a 16 de Novembro de 2006 às 16:18
Voçe tem Problemas... E uma pessoa com odio aos outros nao pode decidir por eles, nem todas as pessoas sao iguais nem as mesmas condiçoes de vida ...E a Dna MARIA tem razão... cresca um pouco... que pessoa mais mesquinha
De Anónimo a 16 de Novembro de 2006 às 16:44
Mesquina é você, porque eu não tenho ódio... tenho pena dela e de todos os candidatos a assassinos que um dia prestarão contas dos seus actos... ela já está a pagar pelos seus crimes... um dia há de chegar a vossa vez também... e não deve ser nada fácil carregar a morte de inocentes sobre os ombros...
De Anónimo a 16 de Novembro de 2006 às 16:57
CONTINUO A AFIRMAR...MESQUINHA A DESEJAR A DESGRAÇA AOS OUTROS ... PENAS TÊM AS GALINHAS E QTAS CRIANÇAS JA ADOPTOU COM TANTA PENA ASSIM ...
De Anónimo a 16 de Novembro de 2006 às 17:07
Desculpe, mas você é tão parva que nem a minha pena merece...
Estou de consciência tranquila, pois não carrego a morte de ninguém e faço o que posso pelos outros, mas a si isso não lhe interessa... e não ponha no seu comentário coisas que eu não disse...
O seu dia há de chegar... mais tarde ou mais cedo... mas não se esqueça: " não ria do seu vizinho que o seu mal vem a caminho"!
De Anónimo a 16 de Novembro de 2006 às 17:19
E NAO DESEJA NADA AOS OUTROS????????????

OLHE SE DESEJASSE ... E NAO RESPONDEU ... QTOS JA ADOPTOU?

NINGUEM MERECE A PENA MAS A COMPREENSAO E DIREITOS

A SRA TEM GRAVES PROBLEMAS... E MELHOR TRATAR-SE

E NAO CUSPA PARA O ALTO ... PODE-LHE CAIR EM CIMA.... TANTO ODIO COMO CONSEGUE VIVER CONSIGO MESMA
De direitismopolitico a 30 de Novembro de 2006 às 00:41

EU ACHO UMA ESTUPIDEZ QUE, SE CONSIDERE UMA DECISÃO SÓ DO INTERESSE DA MULHER. TER UM FILHO NA BARRIGA É DOR?
ESSA COISA DO CORPO SER MEU. QUE LÓGICA É QUE ISSO TEM? QUE ARGUMENTOS A SUSTENTAM? NÃO É DISSO QUE SE TRATA. O PROBLEMA É QUE ELE ESTÁ A MONTANTE E NÃO A JUSANTE !!! VOCÊS MULHERES FAÇAM O QUE QUISEREM COM O CORPO, FAÇAM SEXO QUANDO QUISEREM E COM QUE PARCEIRO QUISEREM, MAS, HAJA UMA CULTURA DE RESPONSABILIDADE. COM TANTA INFORMAÇÃO QUE EXISTE, COM ACESSO A CONSULTAS DE PLANEAMENTO FAMILIAR, COM PRESERVATIVOS GRATUITOS NOS CENTROS DE SAÚDE, COM PILULA DO DIA SEGUINTE E OUTROS TANTOS MÉTODOS, LEVA A PENSAR-SE QUE O PROBLEMA NASCE A JUSANTE? UM DIREITO ? MAS O QUE É UM DIREITO ? NÃO SE TRATA DE UM DIREITO DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO OU DE ESCOLHER A COR DE UM CARRO OU UMA CASA COM 3 ASSOALHADAS OU 4 !!! TRATA-SE DE UM EMBRIÃO...ESTA PALAVRA (...DESPENALIZAÇÃO...) É UMA QUESTÃO DE SEMÂNTICA, COM CÓDIGOS LINGUÍSTICOS SUBJACENTES QUE ENGANAM OS MAIS INDECISOS E MENOS FORMADOS...COMO POR EXEMPLO (...INTERRUPÇÃO...), INTERROMPER É SUSPENDER TEMPORARIAMENTE, PODENDO POSTERIORMENTE REATAR O DESENVOLVIMENTO. (...ABORTAR...), AQUI, TRATA-SE DE UMA SUSPENSÃO DEFINITIVA, PARA A ETERNIDADE SEM HIPÓTESE DE VOLTAR ATRÁS. MEIOS FINANCEIROS? A MINHA AVÓ, EM TEMPOS MISERÁVEIS E DIFÍCEIS ( MUITA FOME ), TEVE 12 FILHOS ( TRÊS MORRERAM NATURALMENTE ), E OS RESTANTES (9) CÁ ESTÃO, VIVENDO, TRABALHANDO HONESTAMENTE, A LUTAR PELA VIDA, E ISTO NUMA ALTURA EM QUE O ESTADO-PREVIDÊNCIA NÃO ERA TÃO APOIANTE. HOJE JÁ HÁ INSTITUIÇÕES DE APOIO ESTATAIS. PERGUNTAM: CONCORDAS QUE A CONSEQUÊNCIA SEJA DEIXAR UM BEBÉ NO LIXO? NÃO...ISSO É QUE É CRIME!!!!! AGORA NÃO É CRIME, CHEGAR A UMA INSTITUIÇÃO E DIZER: " VIM ENTREGAR A MINHA FILHA, NÃO TENHO POSSES FINANCEIRAS, QUERO APOIO PARA ELA...", E O ESTADO QUE EU SAIBA NUNCA DEIXOU MORRER NINGUÉM DE FOME !!!NÃO SEI SE SABEM, MAS, NA INGLATERRA 60% DOS ABORTOS SÃO PRATICADOS POR MULHERES PERTENCENTES À FAIXA ETÁRIA DOS 12 AOS 16 ANOS. CHOCANTE NÃO É? MUITAS FAZEM-NO ÁS ESCONDIDAS DOS PAIS, AMIGOS E ATÉ DOS NAMORADOS, ALGUMAS. É TERRÍVEL, ESTÁ ATORNAR-SE UM ESCÂNDALO...MAS QUE MATURIDADE UMA MIÚDA COM 14 ANOS TEM PARA TOMAR UMA DECISÃO DESTAS? SE MENOR E RETIDA NA ESQUADRA, SÓ COM AUTORIDADE DOS PAIS ( INDO LÁ ) É QUE SAI DE LÁ, SE MENOR, PODEM OS PAIS PASSAR UMA DECLARAÇÃO PARA TIRAR A CARTA DE CONDUÇÃO, SE MENOR, NÃO PODE COMPRAR TABACO OU BEBIDAS ALCOÓLICAS, SE MENOR O ESTADO NÃO RECONHECE MATURIDADE SUFICIENTE A ESTE. ORA, SERÁ SOB A MENORIDADE QUE SE DECIDE? SE CASAL, O MARIDO NÃO TEM O DIREITO A SER PAI, NÃO TERÁ DIREITO Á PATERNIDADE, ONDE EXISTEM A IGUALDADE DOS DIREITOS PREVISTA NA CONSTITUIÇÃO? PORQUÊ SER SÓ UMA OPÇÃO DA MULHER? PORQUE TEM UMA BOLSA HUMANA ONDE CARREGA UM HUMANO? SÓ POR ISSO? COM UM SISTEMA DE ALTA TECNOLOGIA, UMA AMIGA MINHA QUE ANDAVA HÁ MUITO PARA ENGRAVIDAR E NÃO CONSEGUIA, REPAROU QUE O PERÍODO NÃO ESTAVA A APARECER NO SEU PREVISTO TEMPO.FOI FAZER O TESTE. ESTAVA GRÁVIDA E FELIZ.ÁS SEIS SEMANAS, ESTÁ GRAVADO, ELA OUVIU O CORAÇÃO DO BEBÉ. CHOROU DE EMOÇÃO POR CONFIRMAR QUE ESTAVA MESMO GRÁVIDA, PORQUE NÃO ESTAVA A ACREDITAR E QUERIA MAIS PROVAS, TAL ERA A ANGÚSTIA E INQUIETAÇÃO QUE NEM DORMIA.
OUTRA QUESTÃO DE SEMÂNTICA É: ( ...IVG...). O QUE É ISTO? ESTE (DES)GOVERNO SÓ PENSA NA TERMINOLOGIA "VÊJÊ" OU "JÊVÊ"?
ACHO QUE ÉTICO É O GOVERNO NÃO FAZER CAMPANHA POR UMA POSIÇÃO. DEVE ESTAR ISENTO E NÃO INFLUENCIAR OPINIÕES. ISTO É ASSIM: 10 SEMANAS E 2 OU 3 DIAS DÁ PENALIZAÇÃO. DEZ JÁ NÃO. NOVO REFERENDO PARA AUMENTO DO PRAZO? E JÁ AGORA. SE JÁ HOUVE UM REFERENDO, PORQUE É QUE NÃO O RESPEITAM? TEMOS QUE FAZER DISTO UMA POLÍTICA DO DADO? LANÇAR ATÉ CALHAR O LADO 6? OU DAQUI A 8 ANOS PODEMOS FAZER OUTRO PARA VOLTAR ATRÁS? OU SÓ É VÁLIDO SE GANHAR O SIM? ACHAM MESMO QUE LIVRE OPÇÃO PARA ABORTAR É SINÓNIMO DE AVANÇO CIVILIZACIONAL? PORQUÊ? ESTA LEI É A MAIS JUSTA!!!MULHERES PRESAS NÃO, MAS, DEIXO JÁ AQUI UMA MENSAGEM: SE GANHAR O SIM, NUMA DECADÊNCIA DE VALORES QUE HOJE ESTÁ ESTA SOCIEDADE, E NUM DESIQUILIBRIO EMOCIAL EM QUE CAIU, TEREMOS UMA SOCIEDADE CADA VEZ MAIS AFECTADA PSICOLOGICAMENTE, HÁ-DE SER UM PAÍS DE TRAUMATIZADOS...
De Leonor a 21 de Dezembro de 2006 às 17:29
A lei como está agora está muito bem. Muitas das pessoas que não podem criar os filhos é porque não tem dinheiro suficiente, não os conseguirão sustentar. Mas às vezes, para muitas mulheres parece mais fácil do que é na realidade.

Eu tive que abortar. Fui a Espanha há uns meses. Mas não foi porque eu quis. Eu agi de acordo com o que a minha mãe e o meu namorado achavam mais correcto. Pensei que ao dar-lhes ouvidos estava a fazer algo que eu queria também . Quando me chamaram para perguntar se eu tinha a certeza do que queria fazer, eu disse muito calmamente que sim com um sorriso na cara. Mas quando vi o meu bebé na ecografia, 9 semanas, ali, quietinho e pequeno, eu comecei a olhar a minha volta e a aperceber-me do que se tratava. Eu ia matar aquele ser, fruto de um grande amor... aquela criatura que se preparava para ser amada... aquele filho tão inocente que não tinha culpa de nada... Eu ia matar, ia deixar que matassem o meu filho!! Naquele momento só queria levar aquela fotografia comigo, mas guardei-a na memória. Todos os traços, os escuros e claros, todos os contornos...
Na sala, posta a soro, eu olhava em volta e cada vez desprezava mais a presença da minha mãe. Cada vez desejava mais que ela não estivesse ali e que nem eu estivesse ali. Finalmente, adormeci com a anestesia na sala de operações. Tanta gente, tantas máquinas...

Desde então, todas as noites choro. Todas as noites olho para o céu e falo... peço desculpa... choro de novo... tremo... Com a mão na barriga sabendo que está vazia e que agora podia estar de 5 meses... "Em Abril ele iria nascer..." e choro, choro, choro... Arrependo-me, falo, pergunto-me, respondo-me...
Até nas aulas, por causa desta história toda da despenalização do aborto, as professoras a falar do aborto e de bebés, o professor de filosofia a falar da morte e a perguntar coisas sobre pessoas queridas que morreram, a perguntar se alguma vez nos culpámos... Em todas essas aulas eu tenho que sair e ir chorar para a casa de banho.

É muito difícil aceitar, quando somos nós as culpadas, quando somos nós as assassinas, quando matamos porque não podemos dar-lhe a vida que sempre sonhámos dar. Mas se matamos, ele não volta. O nosso filho não volta e já não é ÀQUELE filho que vamos dar aquela vida!

Não obrigado. Nunca mais!

Comentar post

.NÃO

-Reacção de Marques Mendes(SIC)

-Reacção de Ribeiro e Castro(SIC)

-Reacção de Movimentos pelo Não(SIC)

.links